Wednesday, 14 April 2021

A IMPORTÂNCIA DE APRENDER A SER-VÁRIO | PROGRAMA #MyAvatar | BIGBANG THEORY TO BE

1st published May 2019 | Updated 14.April.2021


Projeto: O aluno Mundo | Programa #MyAvatar


Autor: #planeta06072008 | #MyAvatar 2018/2019
Objectivo:
Desenvolver  um modelo cosmológico de diversidade cultural humana, como registo biográfico  (identidade + pessoalidade criativa) de renaissance student (Aluno Mundo), envolvendo o aluno num ambiente imagético de jogo  onde no momento “login”, o aluno, tem de criar o seu planeta,  utilizando três super-poderes: i) O super-poder da PAZ – “o super-poder que permite influenciar positivamente os outros com a minha forma positiva de pensar e de agir"; ii) O super-poder da INOVAÇÃO – “o super poder que permite aplicar as minhas ideias para criar conhecimento novo para o bem comum das pessoas e dos recursos naturais do planeta” e iii) o super-poder do EMPREENDEDORISMO – “o super-poder que  permite assumir responsabilidade pelos problemas do mundo e criar soluções para os resolver”.

Ao criar o seu planeta - o aluno, desenvolve o conceito de diversidade biográfica, i.e.,   a consciência de que é vário, tal como o Professor Agostinho da Silva tão eloquentemente falava e  escrevia: "O Português precisa de tomar consciência de que é vário. Porque se ele percorrer os seus grandes homens, todos eles se apresentam como uma variedade enorme. É o Camões, é o António Vieira, e é aquele que vem dar a chave mais cómoda das coisas e que se chamou Fernando Pessoa. O Fernando Pessoa ousou ser vários; e para pôr isso bem claro aos olhos dos portugueses é que ele usou vários nomes." Assim, o aluno, cria o seu sentido cultural  vário do mundo, desenvolvendo, por evidência indutiva da constatação, o seu próprio sentimento cultural de diversidade biográfica (o meu planeta é único), face à diversidade que sente e observa no-outro (o planeta do meu colega também é único) .

Autor: #Planeta13082008 | #MyAvatar2018/2019
Desta forma, pretende-se desenvolver  a cosmologia da diversidade cultural humana como património de construção do aluno que ao valorizar  o sentido-da-diversidade, na construção da sua própria cultura biográfica,  constrói, dentro de si, um entendimento colaborativo, adaptativo e resiliente sobre a diversidade do mundo que o rodeia, contribuindo-se  para uma visão iluminada sobre importância de alcançar as competências implícitas e explícitas  do “Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória” (despacho nº6478/2017) a referir: i) Linguagens e Textos; ii) informação e comunicação; iii) Pensamento Crítico e Pensamento Criativo; iv) Raciocínio e Resolução de Problemas; v) Saber Científico, Técnico e Tecnológico; vi) Relacionamento Interpessoal; vii) Desenvolvimento Pessoal e Autonomia; viii) Bem Estar, Saúde e Ambiente; ix) Sensibilidade Estética e Artística; x) Consciência e Domínio do Corpo.


Operacionalização:

  • Estabelecer que cada aluno identifica o seu planeta pela data do seu nascimento, respeitando a nomenclatura #planetaDDMMAAAA. Este simples exercício pretende demonstrar que o aluno tem, desde o dia do seu nascimento, um papel ativo na construção do seu património biográfico, contribuindo-se, deste modo, para a valorização dos conhecimentos informais apreendidos ao longo de um percurso de aprendizagem pessoal, matizado por experiências familiares, pelas origens de cada um e pelas diferentes envolvências relacionais que estabelece com os-outros. Um percurso de descoberta e redescoberta humana que não é mais do que a própria cadência da aprendizagem da diversidade do conhecimento humano. 
  • Estabelecer que cada #planeta pertence a um Sistema_Solar_Pi - constituído por tantos #planetas quanto o número de alunos da respetiva turma - e que, por sua vez, o conjunto de todos os Sistemas Solares (i.e., de todas as turmas) pertence a um universo mais vasto – o universo da Escola . A partir desta noção de pertença planetária, pretende-se desenvolver  um tropismo para a colaboração, como forma de harmonizar tensões, e um antitropismo para estados de destruição, na medida da constatação de que: a harmonia do meu planeta, contribui para a harmonia de todo o sistema a que pertenço, porque tudo está ligado entre si.
  • O conceito de “pertença planetária” pretende, adicionalmente, construir a noção “de Turma” como sistema integrado num sistema maior: “a-Escola” que, por sua vez, está integrada num sistema ainda maior: “a-Comunidade” (...) introduzindo-se  a noção implícita  de Sistemas Adaptativos Complexos em que o entendimento da complexidade da imprevisibilidade resulta da aplicação da diversidade e da adaptabilidade para a emergência de um estado de colaboração, para o bem comum.
  • Estabelecer que todos os planetas obedecem à “Lei do Pi” que diz que: não interessa o tamanho do meu planeta, mas sim, a consistência com que uso os atributos da paz (positividade) , da inovação (genialidade) e do empreendedorismo (responsabilidade)   na construção da minha estrutura de decisão e de ação.
  • Explicar  que  (1) o número Pi representa o número de vezes que o diâmetro de uma círculo cabe numa circunferência - aproximadamente 3, (14159…) vezes; e que (2) a razão Pi, é um rácio constante e independente do tamanho da circunferência.  Deste modo, (1) + (2) direciona  o aluno para a tomada de consciência de que não é preciso  ser-se “o maior”, mas sim,  "dar sempre o melhor de si", na forma consistente como o aluno aplica a sua positividade, a sua genialidade e a sua responsabilidade na construção da sua esfera de influência no mundo. Ao associar a Lei de Pi - ao jogo (#MyAvatar), o aluno,  nunca vai ver as suas expetativas defraudadas porque,  vai  poder confirmar, no futuro e por si, a magia do número Pi em áreas tão diversas como: a arquitetura, a computação, as ciências, a física, a química e a matemática. 
  • Solicitar a cada aluno para desenhar “o seu planeta” dentro da filosofia bordaliana que explica o conceito de aluno-artesão: o aluno capaz de moldar mundo com as suas mãos, assumindo o papel ativo na transformação do mundo, em melhor-mundo.


We work for a common project: #DoGood4GreenCitizenshipDevelopment by boosting students' positivity (PEACE), ingenuity (INNOVATION) and responsibility towards problem solving (ENTREPRENEURSHIP).



Tuesday, 6 April 2021

THE LAWS 4DIGITAL WORLD MUST BE MADE UNDER THE CALL FOR "IOG" (INTERNET OF GOODNESS) | BIGBANG THEORY TO BE

" The Laws 4 the Digital World, must be made from the thoughts  of younger generations.

Autor: ##planeta26052007
Under the unpredictable event (e.g. #Covid19), the world wide web was endorsed to be the-safe-mode operating system and the safe-mode-environment for human interactions, not only from Human2Human, but from Familly2Familly, from Profession2Profession, from Friendship2Friendship and from Workplace2Workplace.

Children and teenagers, accordingly, were forced to participate in a struggle between forces of life; and forces of  death entangled in a virtual-world, which had evolved from illusion and  error and  hadn’t yet! matured to concile humanism with utilitarian know-how.

Agreeingly , the imposed safe-mode (of the digital-world), contrasted with the unsafe-mode (of the real-world), undermining children and teenagers’ sensory inputs to believe that human social freedom complexities had been reset to vow simplified virtual  mechanic interactions, a state of error and illusion that was aggravated by a global environment driven by fear and uncertainty.


Asserting digital laws, to end negative ciberphenomena ( e.g. #hatespeech and #bullying), through the spectrum context of unpredictable events (#Covid19) and within the universe of children and teenagers, must be first mirrored as a result of the ubiquitous aspect of human life’s programme: confrontation with uncertainty, error and illusion (Edgar Morin, 2017) from which enlightment will only come through the cognitive integrity of Pascal’s principle as the scientific approach for digital phenomena complexity: “ all things being caused and causing, assisted and assisting , mediate and immediate, and all of them joined by an intangible natural bond that connects the most distant and the most variant, I hold it impossible to know the parts without knowing the whole, or to know the whole without individually knowing the parts”.


Programa #MyAvatar 2018/2019 #Planeta 08112008

More than ever, the main emergence must be to act upon global and national awareness #4GlobalGoodness, not hate, to hence recognize the blind spots of human life programming : uncertainty, error and illusion (E. Morin) ergo, reading #CyberHateSpeech and #CyberBullying as a human software bug programming error, which only can be pinpointed and debugged through #SDG4, i.e. ensuring inclusive and equitible quality education for all, so that individual sovereignty is placed over genome ancestry and environment to invoke younger generations' internal positive (I m Agency 4Peace), ingenious (I am Agency 4Innovation) and responsible (I am an Agency 4Entrepreneurship) awareness to auto-correct it.


Autor: #planeta19092008 |  Projeto “O meu planeta 3D" | Programa #MyAvatar







Under #MyAvatar program, ten year old children were asked to create their own planet. An extraordinary individual criative endeaver which prooved, from then to know, that if our world's governance was based on younger generations virtuous goodness' we would be able, as human kind, to achieve a quantum leap on human colaborative evolution.

Works can be found HERE. However, children grow into teenagers knowing, by their own experience, that “grown-ups never understand anything by themselves, and it is tiresome for children to be always and forever explaining things to them.” (Saint-Exupéry, The Little Prince)

Therefore, #AnEmergenceCall4Goodness has been open, under COVID crisis,  by Principia Humanitatis.ORG, to use "goodness", not "hate", to  circumvent the subtleness, but nevertheless highly detrimental, consequences of hate and bullying ciber-phenomena as to be uncovered: alienation, marginalisation and ethnocide and to assure that  the Laws Of European Union, for the digital world, are spoken from the thoughts of younger generations as  future leaders of the world

From theory  to practice, and within #17Steps4SustainableDevelopment,  Learning 4Peace, 4Innovation  and 4Entrepreneurship method -   a state of art, imprinted from heuristic cognitive and creative processes, leads   younger generations to develop their own understanding of the world wide web as an Internet For Goodness (IOG) network  built upon a sentient understanding of human-freedom, a process that  validates children and teenagers as future leaders, solution builders and leading advisers 4 the Digital World to be .

We work for a common project: #DoGood4GreenCitizenshipDevelopment by boosting students' positivity (PEACE), ingenuity (INNOVATION) and responsibility towards problem solving (ENTREPRENEURSHIP).

Thursday, 11 March 2021

#MyDigitalOath4PIE | LearningTIC4PIE: Aprender TIC para a PAZ, INOVAÇÃO e EMPREENDEDORISMO | GT4PIE: Great Teachers 4Peace, 4Innovation and 4Entrepreneurship | BIGBANG THEORY TO BE

 updated 03.16.2021

NOME DO PROJETO: "MyDigitalOath4PIE" - O meu compromisso digital para a Paz (positividade), Inovação (genialidade) e Empreendedorismo (responsabilidade)


LeaningTIC4PIE: Aprender TIC para a paz, inovação e empreendedorismo

Autor: #MyHubJRC

Na aula TIC, em modalidade E@D, a professora Catarina Trindade, utilizou o projeto #MyOath4PIE para desenvolver e solidificar competências do saber da disciplina TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação), orientando os alunos a digitalmente percorrerem o mundo em 17 passos:  desenhar uma circunferência externa dividida em 17 passos (os 17 ODS),  desenhar uma circunferência interna (learning4PIE), dividida em três partes respetivamente, Paz (positividade), Inovação (genialidade) e Empreendedorismo (responsabilidade)  e percorrer o mundo no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio,  porque, para se resolverem os  problemas complexos da humanidade temos de encontrar  caminhos diferentes,  dos caminhos habituais - a este tipo de atitude/mentalidade - denominamos de "Management Thinker Mindset" (i.e. Mentalidade de Pensamento de Gestor).  

Recursos técnicos:  computador, rato, internet e  programas Microsoft Paint, Microsoft Word e Microsoft Excel. Operacionalização do projeto: a professora Catarina orientou os alunos a utilizar o Microsoft Paint (software utilizado para a criação de desenhos simples e também para a edição de imagens) na construção  do esboço inicial; o Microsoft Word foi utilizado para a inserção de símbolos, referentes aos 17 ODS, que depois foram transformados em imagens, através do Paint; e  o Microsoft Excel foi utilizado na construção de gráficos. 


Por competências básicas TIC, a União Europeia (UE) considera: a utilização do computador para encontrar, aceder, gravar, produzir apresentar/trocar  informação complexa por forma a resolver problemas  relacionados com todos os aspetos da vida.


NOTA: Recorde-se que o projeto #MyOath4PIE direciona o-aluno-aprendiz para  a anatomia da sustentabilidade do seu desenvolvimento antropológico, cívico, nacional e humanista  (Edgar Morin, 2017) de modo a que seja   autor da construção da sua própria esfera de influência no mundo, fazendo-o percorrer as maiores complexidades e potencialidades da humanidade em 17 Passos. 

Neste sentido, a professora Catarina, ao transportar este exercício para o plano da dimensão digital, marcou a importância do aluno também construir a sua esfera de influência no mundo digital, exercendo,  do mesmo modo, a sua autonomia solidária para com a realização dos grandes valores cívicos da humanidade: i)  influenciar positivamente o mundo-digital com a minha forma positiva de pensar, de falar e de agir (Be a Digital Agency 4Peace); ii)  aplicar a minha criatividade/genialidade ao mundo digital e   criar conhecimento-digital para o bem de todos  (Be a Digital  Agency 4Innovation) e iii)  assumir responsabilidade pelos problemas do mundo; encontrar soluções digitais  para os resolver, contribuindo para que o progresso digital beneficie todos (Be a Digital Agency 4Entrepreneurship).

A fusão🌍3D e🌍Digital:  #MyOath4PIE =  #MyDigitalOath4PIE
Assim, ao conciliar conteúdos da área do saber TIC, com o entendimento das complexidades e potencialidades do mundo, a professora Catarina, provocou um   extraordinário upgrade à experiência  da transdisciplinaridade da disciplina TIC, na medida em que, ao direcionar a  linguagem TIC para a humanidade do  desenvolvimento individual e social do aluno,  conciliou valores de complexidade e progresso da humanidade (17 ODS + Learning4PIE),  com a compreensão de saberes digitais  técnicos, permitindo ao aluno transcender o conceito utilitário do mundo digital, para o fundir com a produção de  valores  humanistas ancorados ao sentimento  da positividade (paz), da genialidade (inovação) e da responsabilidade (empreendedorismo), assumindo, o aluno, o compromisso (de mim para mim) com a construção de um mundo digital melhor.

Sobre a dinâmica da aula: "Eu, gosto muito deste tipo de aulas, pois os alunos têm mais liberdade, são mais criativos, consigo realmente ver as suas competências adquiridas ou não." Professora Catarina Trindade

1Great Teacher 👩‍🏫 + 💻 + #LearningTIC4PIE = Transformative value 4GreenCitizenshipDevelopment





Ao  analisar os trabalhos #MyOath4PIE (I am committed to a better world) e #MyDigitalOath4PIE (I am committed to a better digital-world), elaborados pelo aluno #MyHubJRC, pode-se aferir do extraordinário valor implícito e explícito produzido - valor pessoal, valor  transdisciplinar e valor técnico transversal a todas as disciplinas -  nas dez  áreas que definem os princípios e competências do Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória, a referir: i) linguagens/textos; ii) informação/comunicação;  iii) pensamento crítico/pensamento criativo ; iv) raciocínio/resolução de problemasv)  saber científico/técnico/tecnológico; vi) relacionamento interpessoal; vii) desenvolvimento pessoal/autonomia; viii) bem-estar/saúde/ambiente; ix) sensibilidade estética/ artística; x) consciência/domínio de corpo.



We work for a common project: #DoGood4GreenCitizenshipDevelopment by boosting students' positivity (PEACE), ingenuity (INNOVATION) and responsibility towards problem solving (ENTREPRENEURSHIP).

Thursday, 11 February 2021

O SENTIDO DA EMPATIA E A EXTRAORDINÁRIA IMPORTÂNCIA DE ENSINAR A VER, SENTINDO | BIGBANG THEORY TO BE


Objetivo: Ativar o sentido da empatia do aluno como valência de construção do seu  sentimento de  complexidade humana interpessoal (eu e os outros) e intrapessoal (eu e eu), contribuindo para  o desenvolvimento de um mecanismo metacognitivo interno de auto-regulação, capaz de se sobrepor a  pulsões inerentes à programação da vida humana: violência,  raiva, intolerância, ódio e  destruição; pulsões, estimuladas por    situações  de contrariedade da vida, por confrontos com as incertezas dos tempos e  por  erros de pensamento que apagam a complexidade da ação humana, reduzindo-a à dicotomia: o protagonista versus o antagonista (e.g. o herói vs o anti-herói).
Empathy is without question an important ability.It allows us to tune into how someone else is feeling,or what they might be thinking. Empathy allows us to understand the intentions of others, predict their behavior, and experience an emotion triggered by their emotion. In short, empathy allows us to interact effectively in the social world. It is also the “glue” of the social world, drawing us to help others and stopping us from hurting others." (Simon Boron Cohen e Sally Wheelwright “The Empathy Quotient”, in Journal of Autism and Developmental Disorders, Vol. 34, No. 2, April 2004 ).
Ao ativar o seu sentido-da-empatia, o aluno,  constrói um sentimento de compaixão e de humildade   sobre a complexidade da interação com os outros (interpessoalidade) e consigo mesmo (intrapessoalidade), compreendendo a importância de ajudar os outros, e não de magoar os-outros; na dimensão em que também compreende a importância de se ajudar, e de não se magoar a si mesmo; porque intui,  ora, como observador  ora, como observado;  da importância de colar aquilo que nunca se pode separar: a-unidade humana da diversidade humana, no profundo  entendimento de que   a unidade humana é o tesouro da diversidade humana e a diversidade humana é o tesouro da unidade humana (Edgar Morin, 2017).

A empatia é uma  importantíssima management soft skill  de-liderança,  valorizada em todos os sectores da atividade económica, governativa, cultural, social, computacional,  científica e ambiental, na medida em que liga o saber intangível, das competências inter e intra pessoais; com o saber tangível,   das competências técnicas (i.e. hard skills), transformando a diversidade humana em unidade de  valor diferenciador de um projeto, de um espetáculo, de uma invenção, de uma organização, de um produto, de um serviço, de um mercado, de um livro, de uma sociedade e de uma nação, potenciando a sustentabilidade do  progresso humano e dos recursos do planeta.

Ativar o  sentido da empatia, no aluno, é tomar nas mãos valores culturais humanos contemporâneos de transformação, inscritos na linguagem simbólica de José  Saramago  nomeadamente, na  obra o ensaio sobre a cegueira, como conhecimento cívico a passar às novas gerações para que se evitem  os riscos da-cegueira coletiva, derivada do erro da ilusão, na sintomatologia "ver, não vendo" (Saramago,1995). Neste sentido, este projeto ensina o aluno  "a ver, sentindo" (to learn feelingly) algo que só se alcança desenvolvendo a consciência para o-sentido da empatia,  como atributo  intrínseco de colaboração entre o saber objetivo técnico e o saber subjetivo humanista que une  a unidade humana à diversidade humana, contribuindo-se assim,   para o desenvolvimento de  sociedades futuras que vendo, sentem a paz, a inclusão e a equidade, como valores de sustentabilidade para o desenvolvimento do progresso, face  à cegueira destrutiva do conflito, exploração e  desigualdade.

A empatia é, neste projeto, entendida como um sentido sensorial humano, ligado à capacidade de-sentir aquilo que os outros sentem, não podendo nunca estar dissociada da-mente, da qual depende a consciência e os sentimentos (A.Damásio, 2017). Deste modo, o objetivo último é "susciter une tête bien faite." (E.Morin,  1999)


FAQ: Como é que Principia HumanitatisORG consegue compreender se o aluno alcançou os objetivos definidos para cada  projeto? 

Todos os programas curriculares (e.g. #MyHub e #MyAvatar), desenvolvidos por Principia Humanitatis.ORG, incorporam a metodologia -  learning for evidence, em que a-evidência é  aquilo que dispensa de prova e é índice de si. Desta forma, a evidência é produzida pelo trabalho do aluno.

No programa #MyHUb, o aluno #MyHubJPP, no projeto #OmeuSentidoDaEmpatia, desenvolveu o seguinte trabalho:



"Construir"= reunir e dispor metodicamente as partes de um todo. "Riqueza"= abundância, prosperidade. Ao ligar  "a-ação", inerente à utilização do verbo construir, ao designativo  riqueza, o aluno, mostrou  que a prosperidade não está dependente de condicionantes externas, mas da qualidade interna  aplicada à construção da mente (i.e. o esforço individual de-construção da cabeça de cada um). O aluno #MyHubJPP, de uma forma extraordinária, conseguiu ativar o seu sentido da empatia para colar  a  sua experiência transdisciplinar (biográfica + académica), com a  diversidade do seu pensamento complexo, e criar sentimento de conhecimento (uma solução para o problema) sobre um tema humano transdisciplinar, na sua essência: a realidade do sofrimento, abandono e pobreza das crianças no mundo.

NOTA: A aula de implementação deste projeto, foi estranha: a internet não funcionou, a aula foi a primeira depois das férias do Natal e os alunos, desta turma, não tinham feito, na aula devida,  o trabalho deste projeto por falta de  tempo em calendário. No entanto, e apesar da ordem estranha da aula, os alunos conseguiram surpreender pela qualidade dos conteúdos  produzidos, efetivamente, verifica-se que há uma ordem para a emergência das coisas, que será ou não estranha, dependendo da perspetiva em que as consideramos (A.Damásio, 2017). 

FAQ: Como funciona a dinâmica de colaboração  com o(a) professor(a) na sala de aula? 

Principia Humanitatis.ORG, nutre um respeito imenso pelo património de saber do(a) professor(a) e pela sua autoridade na sala de aula. Neste projeto, #OMeuSentidoDaEmpatia, as professoras  de Cidadania e Desenvolvimento acompanharam os alunos, das respetivas turmas, e desenvolveram os seus próprios trabalhos (extraordinários!),  sobre o tema proposto,  na sala de aula, com os alunos - um ato de perfeita simbiose humana entre quem ensina e quem aprende que enriqueceu muito a experiência transdisciplinar do conhecimento dos alunos porque vendo, sentiram a empatia de quem ensina, cuida e transforma o sentimento-do-aprender .

Autora: professora Íris Abelho | Projeto #MyHub: O Meu Sentido da Empatia

Autora: professora Ana Mafalda Oliveira | Projeto #MyHub: O Meu Sentido da Empatia


Colour ✏️ + 1 White Sheet 📄 + Empathy 🌎❤️ = Progress Towards Meritocracy

We work for a common project: #DoGood4GreenCitizenshipDevelopment by boosting students' positivity (PEACE), ingenuity (INNOVATION) and responsibility towards problem solving (ENTREPRENEURSHIP). 

Friday, 15 January 2021

#MyOath4PIE | LEARNING MATH 4PIE | GT4PIE: Great Teachers 4Peace, 4Innovation and 4Entrepreneurship | BIGBANG THEORY TO BE

updated 10.03.2021 | 1st published 15.01.2020

NOME DO PROJETO: "MyOath4PIE

OBJETIVOS:

Direcionar o-aluno-aprendiz para  a anatomia da sustentabilidade do seu desenvolvimento antropológico, cívico, nacional e humanista (Edgar Morin, 2017)  de modo a que seja   autor da construção da sua própria esfera de influência no mundo, fazendo-o percorrer as maiores complexidades e potencialidades da humanidade em 17 Passos.  Um exercício que pretende dar a conhecer o ofício hipocrático de saber-diagnosticar as maiores moléstias da humanidade, para sobre elas agir e, desta forma, conseguir reparar as  maiores feridas do mundo.  

"(...) Saudai o sol que desponta
Sobre um ridente porvir;
Seja o eco de uma afronta
O sinal do ressurgir.
Raios dessa aurora forte
São como beijos de mãe,
Que nos guardam, nos sustêm,
Contra as injúrias da sorte (...)", A Portuguesa

O aluno aprende assim a construir, com as suas mãos, a sua própria linha melódica de esfera de influência no mundo, exercendo a sua autonomia solidária para com a realização dos grandes valores cívicos da humanidade, pois, seguindo o traçado das suas próprias mãos, intui da importância (de si para si) de desenvolver a melhor versão de si mesmo  : i)  influenciar positivamente o mundo com a sua forma positiva de pensar, de falar e de agir (Be an Agency 4Peace); ii)  aplicar a sua criatividade/genialidade para transformar o conhecimento instituído no mundo (Be an Agency 4Innovation) e iii)  assumir responsabilidade pelos problemas do mundo encontrando soluções para os mesmos (Be an Agency 4Entrepreneurship).



OPERACIONALIZAÇÃO:

Autor: aluno #MyHubJRC
O exercício consiste em desenhar duas circunferências: i) Circunferência#1 dividida em 17 partes (17 ODS);  ii) Circunferência#2  dividida em três partes, respetivamente Paz (positividade), Inovação (genialidade)  e Empreendedorismo (responsabilidade).  

Durante este percurso iniciático, em que o aluno percorre o desenho do mundo com as suas mãos, o aluno, compreende que para se resolverem as questões complexas do mundo tem de se seguir um caminho diferente do habitual - The Management Thinker Mindset - por isso, o percurso das suas mãos é feito no sentido contrário ao movimento dos ponteiros do relógio. 

Como apologia direta à forma esférica do mundo, o projeto #MyOath4PIE, associa o conceito  de "circunferência"  ao  sentido de construção da  esfera-de-influência  do aluno no mundo, para que, a partir do saber da geometria da forma da circunferência e  das propriedades do seu espaço, ele possa encontrar     a sua própria noção de centro-de-decisão (Como consigo ter uma visão 360° sobre as consequências das minhas decisões?);  de   raio-de-ação (Qual o impacto das minhas ações?); de diâmetro-de-influência (Até onde posso influenciar os outros?) e  de fronteira-de-ação (Quais os meus limites de ação?).

LEARNINGMath4PIE: Aprender matemática para a paz, inovação e empreendedorismo

Autor: aluno #MyHubRDS
Na aula da disciplina de matemática, a professora Sandra Rosário Rêgo, utilizou o projeto #MyOath4PIE, para  orientar  os alunos sobre o processo do desenho geométrico da   divisão de uma circunferência em um número "n"  de partes iguais (neste caso n
1=17 e n2=3),  dado o valor do raio, com o recurso técnico  ao compasso, transferidor e régua:

1. Circunferência#1- dado valor do raio (exº R1 = 10cm) determinar o valor, em graus, de cada "passo":

360º/17=21,17° (valor aproximado = 21,2°) => cada Passo 4PIE (ODS) corresponde a 21,2º . 

2. Circunferência#2 - dado valor do raio (exº R2 = 4cm) determinar o valor, em graus, de cada "fatia" 4PIE:

360º/3= 120°  => 120° Paz (positividade) + 120° Inovação (genialidade ) + 120º de Empreendedorismo (responsabilidade).


NOTA: Ao abordar os conteúdos da área do saber-da-matemática, e ao associá-los ao entendimento das complexidades e potencialidades do mundo, a professora Sandra, recorreu à apologia da geometria para explicar a contribuição da-parte (a contribuição igual de cada um dos 17 ODS) para alcançar a coerência do progresso do-todo (i.e. o progresso da Humanidade), contribuindo para a compreensão do modelo cosmológico de diversidade cultural humana, como registo de valorização autobiográfica de identidade e pessoalidade criativa de renaissance student ou seja, do aluno que, ao viver o seu processo de aprendizagem, reconhece a importância de iluminar a sua biografia com o desenvolvimento de competências criativas diversas, desde as artes, às ciências, às engenharias, às humanidades e às tecnologias, porque compreende que Tudo está ligado, a-Tudo.


A professora Sandra  provocou um   extraordinário upgrade à experiência  de transdisciplinaridade da matemática do aluno, direcionando a  linguagem da geometria para a humanidade do seu desenvolvimento individual e social, permitindo a integração de valores complexos de progresso da humanidade (17 ODS + Learning4PIE)  com a compreensão de saberes científicos e técnicos (Geometria/Matemática)  elevando os degraus da compreensão da mais simples das proposições ao conhecimento de todas as outras[1].



Sobre a dinâmica da aula: "Os alunos aderiram bem." (professora Sandra Rosário Rêgo)

O que disseram os outros professores: "muito bom!", "parabéns! continuação do bom trabalho", "obrigada pela partilha".

1Great Teacher 👩‍🏫 + ✍️ 📐 + 1 White 📄 + LearningMath4PIE = Transformative Value 4GreenCitizenshipDevelopment


We work for a common project: #DoGood4GreenCitizenshipDevelopment by boosting students' positivity (PEACE), ingenuity (INNOVATION) and responsibility towards problem solving (ENTREPRENEURSHIP).

[1] Regulae ad Directionem ingenii, Descartes (1701), citado em: Martin Heidegger, O que é uma coisa, Edições 70, pg 105 

Tuesday, 29 December 2020

A DRAMATURGIA HUBERIANA E SHAKESPEARIANA | PÉTALAS OF KNOWLEDGE TO BE

Eugen Huber (1849-1923) escreveu o código civil Suíço (1912), unindo uma federação que estava separada por regiões independentes. William Shakespeare (1564-1616) escreveu Romeu&Julieta, entre outras grandes obras, unindo pessoas de classes sociais diferentes à paixão pelo teatro. William Shakespeare e Eugen Huber têm em comum a sua grandiosa genialidade, materializada na elevação da cultura humana que transformou-humanidade, em melhor-humanidade.


A dramaturgia huberiana defende que a fonte da lei é a voz da pessoa comum: "the source of the law is the voice of common people". A dramaturgia de shakespeariana defende que a raíz da questão do-ser-pessoa-comum está no "to-be or not-to-be".

Na obra shakespeariana, a humanidade, aprendeu a ler os sentimentos-humanos (amor, morte, sofrimento, traição, ódio, lágrimas ...) na forma da paixão-humana de pessoa-comum, tudo ingredientes ancorados ao caminho iniciático da procura do sentido da vida. 

Na obra Huberiana, a humanidade, aprendeu a ler a-lei-humana nas raízes dos costumes e tradições da pessoa-comum, pelo que as-leis tinham de ser faladas pelos pensamentos do povo - the law must be spoken from the thoughts of the people - formato que orientou a essência do Código Civil Suiço de 1912, transformando um país relativamente pobre, e agrário do século XVIII, num país relativamente rico e desenvolvido no século XIX[1].

William Shakespeare, não tinha uma educação literária assinada por Cambrigde, nem por Oxford, pertencia ao que os ingleses classificam de "lower orders"[2], mas exaltou o mundo com a sua versatilidade e criatividade linguística, contribuindo, inclusivamente!, para a evolução da própria língua inglesa com a invenção de novas palavras.

Eugen Huber, estudou jurisprudência e tinha uma cultura académica elevada, no entanto, para a elaboração do Código Civil Suiço, exaltou e surpreendeu-mundo por ir às raízes dos costumes e tradições da população e não por consultar a comunidade intelectual letrada em leis. Eugen Huber conseguiu assim, compreender a vida da pessoa-comum e construir um código de leis que integrasse as diferenças que provinham de vivências culturais tão distintas como a cultura francesa, italiana e alemã, num único sistema, transformado um país dividido em federações, numa unidade forte e coesa até hoje.

The Lower Academic Order de Shakespeare, não o impediu de elevar a linguagem de pessoa-comum à cultura do teatro como expressão de arte-humana. O elevado grau académico de Huber, não o impediu de se curvar, perante a voz e o pensamento do povo, colocando as-Leis ao nível da clareza da linguagem de pessoa-comum.

Hoje, a jurisprudência afastou-se do entendimento da pessoa-comum, pois utiliza uma linguagem que não veste os pensamentos da população. A paixão pelo teatro, perdeu folgo para a indústria copy-paste das novelas. A humanidade está mais pobre. 

#ODS16 PROMOVE SOCIEDADES PACÍFICAS E INCLUSIVAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA SUSTENTABILIDADE; CONSTRÓI INSTITUIÇÕES EFICAZES, RESPONSÁVEIS E INCLUSIVAS A TODOS OS NÍVEIS.  AGE COMO SE NUNCA TIVESSE EXISTIDO NENHUM ARTIFÍCIO DE MODA, DE NEGÓCIO, NEM DE POLÍTICA. INTERVÉM UTILIZANDO A SINGULARIDADE DA TUA LINGUAGEM, COMO SE A TUA-LINGUAGEM FOSSE O ÚNICO REMÉDIO CAPAZ DE CURAR TODA E QUALQUER DESORDEM.    SOPRA PÉTALAS OF KNOWLEDGE TO BE  E ESPERA QUE O VENTO AS TRAGA MAIS FORTES.  ACREDITA na FORÇA DA positividade (PAZ), DA genialidade (INOVAÇÃO) e DA  responsabilidade (EMPREENDEDORISMO) E DESAFIA A FORÇA DA GRAVIDADE DE QUEM NÃO ACREDITA.

[1] Power of The Poor, Hernando de Soto, John Templeton Foundation.
[2] Who really wrote Shakespeare?, Robert McCrum, The Guardian, 14-03-2010

Sunday, 27 December 2020

RETHINKING GUERNICA | BIGBANG THEORY TO BE

Santiago tinha dez anos.  Contrariado, observava uma pintura. Estava de castigo dentro de um museu, sentado à frente de uma pintura-muito-feia,  durante o tempo que a mãe considerasse ser-o-tempo-necessário

A pintura assustava-o. No entanto,  ainda o assustava mais o facto de  não poder sair dali  e de estar obrigado a compreender o  significado daquilo que observava  - porque é que não tenho uma mãe normal? – interrogava-se. Os castigos das mães, dos seus amigos, não eram nada assim. Ele preferia mil vezes! ficar proibido de ver televisão, ou de jogar, do que ficar ali, sentado,  a olhar para aqueles  desenhos esquisitos que lhe metiam medo. 

O Santiago,  não conseguia contrariar a vontade de bater no   irmão mais novo - o Diego, que o conseguia   irritar de todas as formas e maneiras especialmente, quando  lhe comia as bolachas todas, quando brincava com os seus brinquedos (sem lhe pedir autorização!) e quando gozava com a cor laranja do seu cabelo – como é que a mãe não percebia que a culpa não era dele?!  – pensava, na certeza de que apesar do-bater, não ser a melhor solução, era a única forma (que o Santiago conhecia) de mostrar ao Diego quem era o-mais-forte.

Estava o Santiago a debater-se com estes seus pensamentos, quando lhe pareceu ver os desenhos a aumentarem de proporção, ao ponto de quase lhe tocarem: aquele-homem, caído no chão, parecia estar-lhe a pedir ajuda;  a mãe, com um bebé ao colo, parecia dizer-lhe – basta de violência!; aquele-outro-homem, ajoelhado, parecia  estar a perguntar-lhe qualquer coisa, que ele não entendia... depois, sentiu-se incomodado pelos  olhos daquele-touro, sobretudo porque lhe lembravam os-seus-olhos   quando perdia a noção de si e batia no irmão - eu tenho aquele  touro dentro de mim! – concluiu assustado, ao mesmo tempo que olhava para todos os lados,  assegurando-se de que o touro não o reconhecia. A sua expressão de terror tinha sido tomada pela constatação de que ele próprio tinha aquela-maldade dentro dele. Levantou-se a correr para ler o que dizia a legenda da pintura:

  • Date: 
     
    1937 (May 1st-June 4th, Paris)
  • Technique: 
     
    Oil on canvas
  • Dimensions: 
     
    349,3 x 776,6 cm
  • Category:  
    Painting
  • Entry date: 
     
    1992
  • Observations: 
     
    The government of the Spanish Republic acquired the mural "Guernica" from Picasso in 1937. When World War II broke out, the artist decided that the painting should remain in the custody of New York's Museum of Modern Art for safekeeping until the conflict ended. In 1958 Picasso extended the loan of the painting to MoMA for an indefinite period, until such time that democracy had been restored in Spain. The work finally returned to this country in 1981.
  • Register number: 
     
    DE00050
  • On display in: 
GUERNICA!!! ... Eu sei o que significa ser-Guernica e não gosto! – pensou, Santiago, em voz alta, voltando a sentar-se e a olhar para a pintura, mas, agora utilizava um olho de cada vez, não fosse  enfurecer  o touro.  Foi assim que reparou no cavalo ferido e na pomba branca que saía da boca do cavalo. O Santiago, tinha uma paixão assumida por    cavalos e, nas batalhas que inventava, quando brincava,   o-cavalo,   era sempre o seu melhor amigo - o que significaria a pomba branca a sair da boca do cavalo, com uma lâmpada a iluminar-lhe a cabeça? – questionou. Agora, com os dois olhos abertos, sentiu  a proteção do cavalo, e  compreendeu que a-nuvem, que girava por cima da cabeça do cavalo,  representava os-pensamentos-bons. O touro, recusava olhar para o cavalo porque preferia a arrogância-da-violência,  à humildade-da-paz . A  melhor atitude  estava na inteligência do cavalo - Eu sabia!!! - gritou Santiago, certo de que se dentro de si escolhesse sempre os pensamentos-bons, o cavalo, venceria  sempre  a maldade do touro . 


Entretanto, a mãe chegou, sentou-se ao lado do Santiago, e perguntou-lhe quem ele era naquela pintura – O cavalo, claro!!! - respondeu, com toda a segurança.

O Santiago, segurou a mão da mãe e prometeu - para o resto da sua vida!, nunca mais bater no irmão, nem em mais ninguém!!.  A mãe, colocou um último olhar sobre Guernica e, com um sorriso aberto no coração, disse baixinho: Obrigada, Picasso 💛!!!

ODS #4 PROMOVER, NO SEIO DA ECOLOGIA  FAMILIAR, OPORTUNIDADES DE CONHECIMENTO AO LONGO DAS VÁRIAS FASES DE DESENVOLVIMENTO DAS CRIANÇAS E DOS JOVENS. AGE. INTERVÉM. SOPRA. ACREDITA.  AGE COMO SE NUNCA TIVESSE EXISTIDO NENHUM ARTIFÍCIO DE MODA, DE NEGÓCIO, NEM DE POLÍTICA. INTERVÉM UTILIZANDO A SINGULARIDADE DA TUA LINGUAGEM, COMO SE A TUA-LINGUAGEM FOSSE O ÚNICO REMÉDIO CAPAZ DE CURAR TODA E QUALQUER DESORDEM.    SOPRA PÉTALAS OF KNOWLEDGE TO BE  E ESPERA QUE O VENTO AS TRAGA MAIS FORTES.  ACREDITA na FORÇA DA positividade (PAZ), DA genialidade (INOVAÇÃO) e DA  responsabilidade (EMPREENDEDORISMO) E DESAFIA A FORÇA DA GRAVIDADE DE QUEM NÃO ACREDITA.