Tuesday, 18 May 2021

RETHINKING GUERNICA | RETHINKING SUSTAINABLE GOALS

SÉRIE - RETHINKING SUSTAINABLE DEVELOPMENT GOALS
time-reading-barometer | 4 minutes 15 seconds | 852  words
1st published 27.12.2020

Santiago tinha dez anos.  Contrariado observava uma pintura. Estava de castigo dentro de um museu sentado à frente de uma pintura que dizia ser-muito-feia  durante o tempo que a mãe considerasse ser-o-tempo-necessário.  A pintura assustava-o. Porém,  ainda o assustava mais o facto de  não poder sair dali  e de estar obrigado a compreender o  significado daquilo que observava  - porque é que não tenho uma mãe normal? – interrogava-se. Os castigos das mães dos seus amigos não eram nada assim. Ele preferia mil vezes! ficar proibido de ver televisão ou de jogar do que ficar ali sentado a olhar para aqueles  desenhos esquisitos que lhe metiam medo. 

O Santiago  não conseguia contrariar a vontade de bater no   irmão mais novo - o Diego, que o conseguia   irritar de todas as formas e maneiras especialmente quando  lhe comia as bolachas todas, quando brincava com os seus brinquedos (sem lhe pedir autorização!) e quando gozava com a cor laranja do seu cabelo – como é que a mãe não percebia que a culpa não era dele?!  – pensava, na certeza de que apesar do-bater não ser a melhor solução era a única forma (que o Santiago conhecia) de mostrar ao Diego quem era o-mais-forte.

Estava o Santiago a debater-se com estes seus pensamentos quando lhe pareceu ver os desenhos a aumentarem de proporção, ao ponto de quase lhe tocarem: aquele-homem caído no chão parecia estar-lhe a pedir ajuda;  a mãe com um bebé ao colo parecia dizer-lhe – basta de violência!; aquele-outro-homem ajoelhado parecia  estar a perguntar-lhe qualquer coisa que ele não entendia... depois, sentiu-se incomodado pelos  olhos daquele-touro sobretudo porque lhe lembravam os-seus-olhos   quando perdia a noção de si e batia no irmão - eu tenho aquele  touro dentro de mim! – concluiu assustado, ao mesmo tempo que olhava para todos os lados,  assegurando-se de que o touro não o reconhecia. A sua expressão de terror tinha sido tomada pela constatação de que ele próprio tinha aquela-maldade dentro dele. Levantou-se a correr para ler o que dizia a legenda da pintura:

  • Date: 
     
    1937 (May 1st-June 4th, Paris)
  • Technique: 
     
    Oil on canvas
  • Dimensions: 
     
    349,3 x 776,6 cm
  • Category:  
    Painting
  • Entry date: 
     
    1992
  • Observations: 
     
    The government of the Spanish Republic acquired the mural "Guernica" from Picasso in 1937. When World War II broke out, the artist decided that the painting should remain in the custody of New York's Museum of Modern Art for safekeeping until the conflict ended. In 1958 Picasso extended the loan of the painting to MoMA for an indefinite period, until such time that democracy had been restored in Spain. The work finally returned to this country in 1981.
  • Register number: 
     
    DE00050
  • On display in: 
GUERNICA!!! ... eu sei o que significa ser-Guernica e não gosto! – pensou o Santiago em voz alta, voltando a sentar-se e a olhar para a pintura, mas, agora utilizava um olho de cada vez não fosse  enfurecer  o touro.  Foi assim que reparou no cavalo ferido e na pomba branca que saía da boca do cavalo. O Santiago tinha uma paixão assumida por    cavalos e nas batalhas que inventava quando brincava,   o-cavalo,   era sempre o seu melhor amigo - o que significaria a pomba branca a sair da boca do cavalo com uma lâmpada a iluminar-lhe a cabeça? – questionou. Agora, com os dois olhos abertos sentiu  a proteção do cavalo e  compreendeu que a-nuvem que girava por cima da cabeça do cavalo  representava os-pensamentos-bons. O touro, recusava olhar para o cavalo porque preferia a arrogância-da-violência  à humildade-da-paz . A  melhor atitude  estava na inteligência do cavalo - eu sabia!!! - gritou Santiago, certo de que se dentro de si escolhesse sempre os pensamentos-bons, o cavalo, venceria  sempre  a maldade do touro


Entretanto, a mãe chegou. Sentou-se ao lado do Santiago e perguntou-lhe quem ele era naquela pintura – o cavalo, claro!!! - respondeu com toda a segurança.O Santiago segurou a mão da mãe e prometeu - para o resto da sua vida! - nunca mais bater no irmão, nem em mais ninguém!!.  A mãe colocou um último olhar sobre Guernica e, com um sorriso aberto no coração, disse baixinho: Obrigado, Picasso.

#ODS1 + #ODS2 + #ODS3 + ODS#4 + #ODS5 + #ODS16 OBRIGADO 💗A TODAS AS MÃES  QUE CONTRIBUEM   PARA TRANSFORMAR O MUNDO, EM MELHOR MUNDO.