Monday, 11 October 2021

A DANTESCA AVAREZA DA INSUSTENTABILIDADE DAS-COISAS | RETHINKING SSUTAINABLE GOALS

SÉRIE - RETHINKING SUSTAINABLE DEVELOPMENT GOALS
time-reading-barometer | 1 minutes 49 seconds | 364  words

a raiz do problema da insustentabilidade   não é o-vício mas  a avareza de quem a produz. a insustentabilidade  tornou-se tristemente o estado natural do progresso-mundoa-insustentabilidade deixou de ser uma epifania-do-desalento para ser considerada uma característica-industrializada-do-ser-mundo na medida do-como se tornou fácil  produzir-insustentabilidade. poder-se-ia  até  afirmar que com toda a tecnologia e com todos os avanços científicos não haveria razão para haver insustentabilidade mas em verdade também se poderia afirmar que foram as tecnologias e os avanços da ciência que promoveram a globalização-da-insustentabilidade. a questão não está na grand-oeuvre que se realizou mas na forma ready-made-duchampiana como a ciência e a tecnologia apresentaram o resultado:  já mastigado e fácil de consumir. a atual divina comédia que distrai a cultura humana   é corrompida pela dantesca insustentabilidade que a prostrou. por comédia só se conhece a insustentabilidade da-avareza  alimentada por livre-vontade. o purgatório de Dante é hoje o movimento padronizado que conduz a vontade do mundo-vulgarisproduzir-coisas para consumir-mais-coisas e assim morrer de barriga-cheia,  não porque se produziu a qualidade da sustentabilidade, mas porque se consumiu demasiada quantidade da-insustentabilidade. a gula conduziu  o progresso da humanidade a uma obesidade mental que a impede de pensar-sustentabilidade. a luxúria conduziu o progresso da humanidade a um êxtase que se sente sempre que se consome o objeto-coisa  pelo simples desejo de ter-por-ter ou pelo desejo de ter-o-que-o-outro-tem ou ainda pelo medo de vir a precisar de ter-o-que-não-se-tem. nas extremidades-mundo surgiram o mundo-vulgaris-avarento e mundo-vulgaris-pródigo. o primeiro, agarra-se à coisa como se de um direito-divino se tratasse. o segundo desperdiça-a apelando ao mesmo direito de posse-divina. a ira e a inveja manifestam-se no mundo sempre que o-mundo  é contrariado e a lei-natureza mostra que a lei-universo não pode ser a expiação-das-coisas  mas a  sustentabilidade da sua produção e do seu consumo.

#ODS1 + #ODS2 + #ODS3 + #ODS#4 + #ODS5 + #ODS 6 + #ODS7 + #ODS8 + #ODS9 + #ODS10 + #ODS11 + #ODS12 +#ODS13 + #ODS14 + #ODS15 #ODS16 + #ODS17 PEDIMOS DESCULPA PELA  AVAREZA DA INSUSTENTABILIDADE DAS-COISAS PROVOCAR A EROSÃO DOS RECURSOS NATURAIS DO PLANETA TERRA.