Tuesday, 29 March 2022

DESPOIL | RETHINKING SUSTAINABLE GOALS

SÉRIE - RETHINKING SUSTAINABLE DEVELOPMENT GOALS
time-reading-barometer |1 minutes 37 seconds | 324 words
17steps@principiahumanitatis.org


a humanidade tem uma propriedade que a distingue das restantes espécies: nasce e morre a chorar.  chorar mostra-se como tónico da dor. uma dor no sentir porque a humanidade não sabe para o que nasce  nem para o que morre. as lágrimas da humanidade fazem-lhe  lembrar que é em terra que a vida se (des)faz.  ao nascer a humanidade é separada da sua alma e ao morrer não a consegue reconhecer. o tempo aprofunda-lhe essa-noção de separação e a idade vinca-lhe essa-certeza. mas é no testemunho das memórias  fossilizadas que repousa o registo de quem por terra andou quando o mundo continua a cobrir o que a ciência não revela. as memórias da humanidade passaram para o estudo da genética  e  a ciência  quedou-se deslumbrada com a possibilidade de poder alterar o  caminho-humanidade  sem o ter de percorrer.  a humanidade apesar de partilhar o mesmo deslumbramento da ciência pelo progresso  não sabe que a-ciência   conta o que é possível de saber mas  não-conta o que é impossível de saber (the  Bertrand Russel effect). por isso. a humanidade foi obrigada a seguir  o caminho mais curto - aquele caminho do saber possível-mundoas teorias da evolução  não aproximaram a humanidade  da sua alma. pelo contrário. afastaram-na. se para a humanidade as questões profundas da ciência continuam a ser do seu  interesse as mesmas não resolvem as questões práticas que lhe continuam a provocar lágrimas. na verdade. a maior dificuldade da humanidade coincide com o maior atributo da ciência: não saber despir-se. e as lágrimas? essas continuam a cair.

#ODS1 + #ODS2 + #ODS3 + #ODS#4 + #ODS5 + #ODS 6 + #ODS7 + #ODS8 + #ODS9 + #ODS10 + #ODS11 + #ODS12 +#ODS13 + #ODS14 + #ODS15 #ODS16 + #ODS17 PEDIMOS DESCULPA PELA  CIÊNCIA TER ROUBADO "A-HUMANIDADE"  DAQUILO QUE É IMPOSSÍVEL DE SABER.