Monday, 10 May 2021

A MENINA-MULHER QUE MORREU SEM SABER O QUE ERA UMA FLOR | RETHINKING SUSTAINABLE DEVELOPMENT GOALS

SÉRIE -  RETHINKING SUSTAINABLE DEVELOPMENT GOALS
time-reading | 1 minute  58 seconds | 396  words
1st published 4.26.2018

Hakika era o nome de nascimento de uma menina. Menina  que nasceu numa aldeia. Aldeia que ficava num país onde não nasciam flores. Hakika, era negra como a cor da terra que pisava e só descobriu que haviam terras-de-outras-cores quando, Marie-Anne, uma médica francesa, branquinha como os seus dentes, apareceu na sua aldeia.

Hakika, acreditava que a cor da pele  era dada pela terra que se pisava com os pés, pelo que imaginava que a terra de Marie-Anne fosse branca-cor-de-dentes, no entanto,  interrogava-se se o sangue de Marie-Anne seria da cor do seu pôr-do-sol. Marie-Anne, adivinhando a  curiosidade-de-Hakika, mostrou-lhe uma ferida que tinha no dedo. Hakika, respirou fundo aliviada por constatar que a cor do sangue de Marie-Anne era da cor do pôr-do-sol que conhecia, confirmando a  teoria que tinha imaginado -  as pessoas são todas iguais por dentro independentemente da cor  da terra donde vêm!  
 
Todas as  descobertas de Hakika tinham nascido  da curiosidade-de-Hakika. Assim tinha acontecido quando Hakika descobriu que era-menina,  até então, pensava que se podia escolher o que se queria ser e ela teria preferido escolher-ser-menino, porque, aos meninos, era-lhes permitido brincadeiras mais divertidas e, quando os meninos se transformavam em meninos-homens,  aos homens,  era-lhes dada mais liberdade e mais oportunidade.  Porém, a mãe de Hakika  dizia-lhe:  uma flor só pode nascer do coração  de uma  menina.  Hakika, como nunca tinha visto uma flor,  duvidava do que a mãe lhe dizia e  culpava a mãe por a ter feito  menina. Hakika, morreu menina-mulher na terra-negra onde só conheceu  o-sofrer, sem nunca  saber o que era uma flor.


ODS #5 PEDIMOS DESCULPA A TODAS AS MENINAS-MULHERES QUE MORREM  SEM TER A  OPORTUNIDADE DE SABER  O QUE É UMA FLOR. AGE. INTERVÉM. SOPRA. ACREDITA.  AGE COMO SE NUNCA TIVESSE EXISTIDO NENHUM ARTIFÍCIO DE MODA, DE NEGÓCIO, NEM DE POLÍTICA. INTERVÉM UTILIZANDO A SINGULARIDADE DA TUA LINGUAGEM, COMO SE A TUA-LINGUAGEM FOSSE O ÚNICO REMÉDIO CAPAZ DE CURAR TODA E QUALQUER DESORDEM.    SOPRA PÉTALAS OF KNOWLEDGE TO BE  E ESPERA QUE O VENTO AS TRAGA MAIS FORTES.  ACREDITA na FORÇA DA TUA positividade (PAZ), DA TUA genialidade (INOVAÇÃO) e DA TUA responsabilidade (EMPREENDEDORISMO) E DESAFIA A FORÇA DA GRAVIDADE DE QUEM NÃO ACREDITA.