Monday, 3 October 2022

A CERTEZA CAMONIANA | RETHINKING SUSTAINABLE GOALS

SÉRIE - RETHINKING SUSTAINABLE DEVELOPMENT GOALS
time-reading-barometer | 3 minutes 12 seconds | 642 words | republished
17steps@principiahumanitatis.org

M.Reeves e J.Fuller falam da-imaginação como um dos ingredientes mais mal compreendidos porém! crucial  para o sucesso de uma organização, na medida de que é o-atributo que faz a diferença entre:  mudanças incrementais,  tipos de  mudanças fundamentais e  mudanças de alteração de  paradigmas essenciais para o sucesso, sobretudo, em  períodos de crise. Ou seja, as organizações de sucesso são feitas de  "wizards" capazes de "fazer-magia" e transformar "o-impossível" em "possível". No espectro oposto temos o conceito criado por J.K.Rolling: "muggles" . Os muggles    não têm a capacidade de fazer magia, ou seja, não têm a capacidade de transformar "o-impossível" em "possível". Luís de Camões era  wizard .  António Vieira era wizard. Steve Jobs era wizard. Augusta Ada King era wizard.

A diferença entre  wizardsmuggles pertence ao foro do mindset (i.e. da mentalidade). Os wizards utilizam o atributo da-imaginação para criar valor para o bem-comum  das pessoas e dos recursos do planeta. Os muggles não acreditam na imaginação como instrumento de  valor transformador e normalmente identificam-se como followers (seguidores) e subscribers (subscritores) das ideias dos-outros, preferindo seguir o "copy-paste" a criar "ideias-originais". Quando Steve Jobs afirmava: " a inovação distingue os líderes dos seguidores" referia-se precisamente à qualidade " ser-wizard ":  a genialidade  de transformar "o-impossível em possível.

A imaginação é  uma qualidade que sempre acompanhou  a evolução das culturas humanas. Na verdade, a beleza dos artefactos arqueológicos  revelam a capacidade humana de transcender a utilização das-coisas para criar  valor criativo diferenciador. Ainda hoje, os artefactos dos nossos antepassados são guardados e expostos  com o carinho geracional de quem reconhece o valor  da-imaginação-criativa como atributo de progresso humano.

Mas, donde surgiu a capacidade humana de-imaginar? António Damásio (2017)  faz referência a vários factores entre os quais o atributo  -  inteligência criativa -  que  define como:  " processo de enriquecimento das mentes através dos sentimentos e da subjetividade, da memória baseada em imagens, e da capacidade de ordenar as imagens em narrativas.  (...) foi graças à inteligência criativa que as imagens mentais e os comportamentos vieram a ser combinados intencionalmente de modo a desenvolver soluções inovadoras para os problemas detetados pelos seres humanos e a edificar novos mundos para as oportunidades imaginadas pela humanidade".

No entanto, é na  obra camoniana que Portugal encontra, no  primeiro canto dos Lusíadas, uma explicação muito clara sobre o processo-cognitivo-da-imaginação, como o-processo que levou os  Portugueses a criarem  oportunidades nunca antes imaginadas, a referir: 
i. Primeiro Passo: "ir por mares nunca de antes navegados" - ou seja desconstruir modelos mentais rígidos   e  fazer-login  na arquitetura  mental-imaginativa para percorrer caminhos diferentes e novos ;  ii. Segundo Passo: "passar para além da Traprobana ... mais do que prometia  a força humana" - ou seja focar a atenção no plano da hipótese mental "e se fosse possível!?", ao invés do plano mental "o que é." ; iii. Terceiro Passo: "Entre  gente remota, edificar Novo Reino" - ou seja com as ideias imaginadas transformar o conhecimento instituído em melhor-conhecimento-humano,  partilhando-o com os-outros e assim alimentar e enriquecer o processo-de-imaginação-coletiva.
Infere-se,  que a questão contemporânea  do desenvolvimento da humanidade não se prende  com a incerteza shakespeariana: "to-be-or-not-to-be", mas  com a certeza camoniana: " to-be-imaginative", i.e. através da imaginação ser-se capaz de mudar paradigmas limitativos do potencial humano, contribuindo assim, para transformar o mundo em melhor-mundo

#ODS1 + #ODS2 + #ODS3 + #ODS#4 + #ODS5 + #ODS 6 + #ODS7 + #ODS8 + #ODS9 + #ODS10 + #ODS11 + #ODS12 +#ODS13 + #ODS14 + #ODS15 #ODS16 + #ODS17   OBRIGADA, LUÍS VAZ DE CAMÕES, PELA GENIALIDADE CRIATIVA DA IMAGINAÇÃO APLICADA AO CONHECIMENTO LUSITANO DA PAZ, DA INOVAÇÃO E DO EMPREENDEDORISMO. DIA 10 DE JUNHO DIA DE PORTUGAL E DE CAMÕES. 

ODS = Objetivo de Desenvolvimento Sustentável = SDG = Sustainable Development Goals (17Steps4Sustainability).1.Inequality in the world: local management of common pool resources  (sdg1, sdg2,  sdg14 and sdg15); 2.Industrial and Technological development driven towards the common good: well-being is as important as  health-being (sdg3); 3. Learning Good4CitizenshipDevelopment  towards peace, innovation and entrepreneurship: imagination as a competitive human advantage factor for inclusion and diversity incorporation  (sdg4); 4. Equal opportunities: no prejudices nor bias  (sdg5); 5. Global Water Management 4Peace, 4Innovation and 4Entrepreneurship (sdg6 and sdg14); 6. Energy transformation towards the common good: well-being and  democratizing access (sdg1,  sdg3, sdg7, sdg10, sdg11, sdg13, sdg14, sdg15 and sdg16); 7. Industry 4.0: industrial and technological transformation4PIE (sdg 8, sdg9, sdg10 and sdg17); 8. Globalization processes  driven 4PIE (sdg1, sdg9, sdg12, sdg16 and sdg17) ; 9. AI Governance  under the axiomatic Law of Pi4PIE (sdg1, sdg8, sdg16 and sdg17).